Chromebooks terão suporte para Linux, Ate que fim!

Por que o Linux? É seguro, lembrando todos sistemas são rackeavél porém tem sistemas como Linux levam tempo para ser invadido por suas questões de segurança de códigos criptógrafa-dos dentro do sistema operacional Linux. O que muitos usuários de Linux esperavam desde que o Chromebook foi lançado finalmente vai acontecer: em breve, os notebooks com Chrome OS terão suporte para sistemas operacionais com Linux. A começar pelo híbrido Google Pixelbook, lançado no ano passado, alguns Chromebooks passarão a rodar apps Linux, além dos aplicativos para web da Google e para Android que já funcionam. A Google desenvolveu um maneira de integrar uma versão do Linux no desktop da Chrome OS que permite que os aplicativos sejam abertos diretamente do Launcher, fazendo também com que a maioria dos computadores rode os aplicativos sem pesar ou sem tornar a máquina lenta.

Linux

Apesar dissso, assim como no próprio Office, alguns dos programas podem fazer o computador sofrer para processar. Recursos como o GIMP, por exemplo, agora poderão ser utilizados no Chromebook, mas como são muito pesados, podem acabar afetando um pouco o desempenho de algumas máquinas menos poderosas.Ainda assim, a novidade é um avanço que torna os notebooks da Google mais viáveis do que as máquinas com iOS, em alguns casos. Eles poderão, por exemplo, ser mais usados em aulas de ciência da computação, já que os alunos poderão instalar programas como o Android Studio desenvolver aplicativos mais facilmente. O uso de sistemas Linux não era totalmente impossível no Chromebook para usuários mais avançados. Quem faz questão de usar distribuições como o Ubuntu pod fazer uso dos recursos desenvolvidos pelo Projeto Crouton, uma iniciativa independente que cria um arquivo do sistema isolado para instalar as distribuições Linux.  
#TesSuperNews

Comentários

Postagens mais visitadas

Já ouviu falar em cabo submarino? Ele leva a internet pelos oceanos no mundo todo

Asus revela novo notebook ultra fino

Google quer forçar fabricantes a liberar atualizações para o Android